Justiça condena assaltantes que mataram estudante na USP

A Justiça julgou procedente a ação movida pelo Ministério Público e condenou os dois jovens que mataram o universitário Felipe Ramos Paiva, durante um assalto no bolsão do estacionamento da FEA (Faculdade de Administração, Economia e Contabilidade), no campus da USP (Universidade de São Paulo), no bairro do Butantã, na capital paulista. O crime aconteceu em maio do ano passado.

Na sentença, proferida no último dia 18 de junho, a Juíza Mônica Salles Penna Machado, da 3ª Vara Criminal Central da Capital, condenou Daniel de Paula Celeste Souza a 20 anos de prisão e Irlan Graciano Santiago a 14 anos de reclusão, por roubo seguido de morte. Ainda cabe recurso, mas eles não poderão recorrer em liberdade.

De acordo com a denúncia, formulada pelo promotor de Justiça Vilson Baumgartner, Irlan e Daniel decidiram praticar um assalto na Cidade Universitária. Primeiramente, surpreenderam uma senhora, nas imediações da Raia Olímpica, e levaram o seu carro. A dupla, no entanto, percebeu que a vítima era uma pessoa com deficiência física, que usava muletas, e resolveu praticar outro assalto nas imediações.

Com a vítima no banco de trás do veículo, foram até o estacionamento da FEA e pararam próximo a um Passat, pertencente a Felipe Ramos, que naquele momento estava abrindo o seu veículo para deixar o campus universitário. Irlan permaneceu no volante do carro, preparado para uma fuga, e Daniel desceu, armado, passando a exigir de Felipe a entrega do veículo e seus pertences. Felipe reagiu e tentou entrar no carro, que era blindado, para se proteger.




Daniel disparou vários tiros contra Felipe, atingindo a sua nuca, fugindo com Irlan e a vítima do primeiro roubo. O veículo e a deficiente foram abandonados na avenida Corifeu de Azevedo Marques, e a dupla prosseguiu a fuga a pé. Os dois foram presos dias depois do crime.

Fonte: R7

Justiça condena assaltantes que mataram estudante na USP
Avalie!




Deixe seu comentário