Coleção de Artes Visuais do Instituto de Estudos Brasileiros no Butantã

A Coleção de Artes Visuais do Instituto de Estudos Brasileiros no Butantã, iniciou-se em 1968, com a chegada do acervo Mário de Andrade. Esse núcleo original é composto por diferentes séries de objetos e obras de arte colecionadas pelo escritor paulista, e permaneceu como único acervo até 1981.

A partir de então, a Coleção abriu-se a novas doações e aquisições, formando atualmente um conjunto com mais de 3 mil peças divididas em 20 subgrupos.

Mantidos na íntegra conforme sua origem, têm valor artístico, histórico e antropológico.

colecao-artes-visuais-instituto-de-estudos-brasileiros-no-butanta


Sobre Coleção de Artes Visuais do Instituto de Estudos Brasileiros

Em 1968, a Coleção de Artes Visuais do IEB foi criada com a chegada do acervo Mário de Andrade, composto pelas séries Artes Plásticas: Religião e Magia, Música e Dança, Cotidiano; e objetos da Revolução Constitucionalista de 1932.

A partir de 1981, a Coleção de Artes Visuais se abriu para novas incorporações e possui hoje um conjunto heterogêneo de 20 coleções, que totalizam aproximadamente 8.000 peças de interesse para a cultura brasileira.

A Coleção de Artes Visuais é responsável pelas mostras que ocorrem na sala expositiva Marta Rossetti Batista, dentro do próprio IEB. As exposições são decorrentes de pesquisas junto ao Acervo do Instituto e articulam o conjunto documental dos três serviços: Arquivo, Biblioteca e Coleção de Artes Visuais.

Revista Instituto de Estudos Brasileiros USP

O IEB publica livros e catálogos sobre artes plásticas, história, etnologia, estudos rurais, economia, literatura, urbanismo e educação. E as revistas: Almanack braziliense e Revista do IEB.

A Revista do Instituto de Estudos Brasileiros (RIEB) tem como missão refletir sobre a sociedade brasileira articulando múltiplas áreas do saber. Nesse sentido, empenha-se na publicação de artigos originais e inéditos, resenhas e documentos relacionados aos estudos brasileiros.

Acervo Instituto de Estudos Brasileiros no Butantã

O Acervo do Instituto de Estudos Brasileiros IEB é formado por 91 fundos e coleções, além de vasta documentação resultante de pesquisa e documentação avulsa e geral. Em termos quantitativos, trata-se de aproximadamente 450 mil documentos no Arquivo, 180 mil livros na Biblioteca e 8 mil objetos na Coleção de Artes Visuais.



As incorporações ao acervo realizadas pelo IEB, através de compras ou doações, são mantidas em sua integralidade e destinadas ao Arquivo, à Biblioteca e à Coleção de Artes Visuais, de acordo com suas especificidades. Ao Arquivo cabe a organização dos documentos textuais e áudio-visuais, enquanto a Biblioteca se ocupa das obras publicadas e a Coleção de Artes Visuais reúne as obras de arte e os objetos tridimensionais.

O Guia do IEB apresenta este acervo organizado por coleções, das quais são informados: o título; a biografia do titular; o percurso de incorporação da coleção ao acervo do IEB; descrição do conteúdo; quantidade e estado de organização. Já o acervo on-line disponibiliza o material digitalizado e instrumentos de pesquisa, nos quais constam informações sobre os documentos, que podem ser consultadas através do Catálogo Eletrônico do IEB.

A responsabilidade institucional este patrimônio cultural implica refletir e elaborar diretrizes afeitas à guarda e conservação, bem como à incorporação de novas coleções, visando à preservação da memória, à produção do conhecimento, à extroversão e à publicização do acervo.

Nesse sentido, o IEB realizou dois seminários, em 2006 e 2009, para a ampla discussão e elaboração de políticas de acervo.

Em 2006, o seminário reuniu especialistas de todo o Brasil, que lidavam com instituições detentoras de acervos culturais e, sobretudo, arquivos pessoais. O encontro versou sobre os desafios da disponibilização e foi discutida a questão do acesso do pesquisador às fontes, os direitos autorais e de imagem, e várias outras limitações relativas à efetiva transformação do acervo em bem público.

Como resultado das discussões efetuadas no encontro, foi elaborado o documento Acesso a acervos de escritores e intelectuais.

O seminário de 2009 pretendeu abordar as diversas etapas e desafios envolvidos na incorporação de novos fundos e coleções, através de ampla discussão realizada coletivamente por funcionários, especialistas, docentes e pesquisadores do Instituto. Ao final do processo foi aprovado o documento Política de acervo para o IEB, no qual constam as diretrizes de ação e planejamento do IEB em relação ao acervo sob sua guarda.

Horário de Funcionamento Comunicação e Artes Visuais no Butantã

  • Segunda a Sexta: das 08h às 18h00

Endereço e Telefone Instituto de Estudos Brasileiros no Butantã

  •  Espaço Brasiliana – Av. Prof. Luciano Gualberto, 78 – Vila Universitaria, São Paulo – SP
  • Telefone: (11) 3091-3197

Mapa de localização





Deixe seu comentário