Prefeito inaugura nova Central de Triagem no Butantã

O prefeito de São Paulo inaugurou na manhã da última quinta-feira (3/11) a nova Central de Triagem para materiais recicláveis na região do guia Butantã, Zona Oeste de SP. Com capacidade para tratar 460 toneladas de material reciclável por mês, o galpão com 2 mil m² de área construída é o maior equipamento que integra o Programa Socioambiental de Coleta Seletiva da Prefeitura.

“Esta inauguração representa um avanço nas políticas públicas vinculadas às pessoas e à destinação de materiais reaproveitáveis. Com esta inauguração teremos a oportunidade de criar aproximadamente 10 mil empregos nessa área até o final da nossa gestão”, destacou o prefeito.

A nova Central de Triagem do Butantã é resultado de um trabalho conjunto das secretarias de Serviços, por meio do Departamento de Limpeza Urbana (Limpurb), do Verde e do Meio Ambiente, além da Secretaria de Infraestrutura Urbana (SIURB), por intermédio do Departamento de Edificações (Edif).

“A Cidade de São Paulo hoje é um exemplo mundial na questão do tratamento do lixo. A Secretaria do Verde e do Meio Ambiente fica feliz de colaborar com a Secretaria de Serviços para auxiliar no tratamento dessas quase 15 mil toneladas diárias de lixo que a cidade gera”, afirmou o secretário do Verde e do Meio Ambiente.


O novo espaço começou a ser utilizado hoje pela Cooperativa “Vira Lata”, conveniada à Secretaria de Serviços, que beneficia cerca de 60 famílias que obtêm com o trabalho uma renda mensal de R$ 800,00. Antes, a Cooperativa funcionava em um galpão na região de Pirituba. Com o novo equipamento, a expectativa é que a cooperativa dobre a quantidade de material triado, que atualmente é de 230 toneladas por mês. O número de cooperados, com a nova unidade, também poderá dobrar. A Central abriga um pioneiro Centro de Capacitação de Cooperados com disposição para atender a 70 pessoas, simultaneamente.

“Houve um esforço coletivo das secretarias para essa questão tão importante, que é a área ambiental. Todo resíduo gerado na Cidade de São Paulo é destinado aos aterros rigorosamente controlados pela CETESB. Não existe lixo sendo descartado em lixão na cidade de São Paulo, e sim pessoas que descartam o material de maneira errada em locais inapropriados”, afirmou o secretário de Serviços.



Obras

Para abrigar a Cooperativa, o prédio recebeu uma série de adequações, como tubulações para a implantação de um sistema de aquecimento solar, calhas e condutores adequados para a implantação do sistema para a captação e reaproveitamento de águas pluviais. Com o objetivo de melhorar a luminosidade da unidade, algumas telhas foram substituídas por outras translúcidas.

O piso interno foi reforçado com concreto e telas de aço. As paredes receberam nova pintura e os ambientes foram separados por granilite. Nos vestiários e banheiros algumas áreas foram readequadas, instalados azulejos, piso cerâmico, além da adaptação para permitir acesso de pessoas com mobilidade reduzida. Foram colocados espelhos nas paredes, novos vidros nas janelas e as portas e portões quebrados foram trocados.

Toda a unidade passou por revisões elétricas, hidráulicas, sendo necessária a substituição da rede de água fria, implantação da rede de esgoto e águas pluviais. Os quadros de entrada de energia foram substituídos, além da instalação de novas luminárias nas áreas internas e externas. O valor da obra, que foi iniciada em julho deste ano, é de R$ 1,6 milhão.

Coleta Seletiva

O Programa Socioambiental de Coleta Seletiva da Prefeitura atende 75 dos 96 distritos da capital. Desde sua implantação, em 2003, o volume de material coletado cresceu oito vezes. A Secretaria de Serviços mantém convênio com 21 cooperativas – incluindo uma de material eletrônico – que realizam a separação dos materiais. A administração pública subsidia toda a infraestrutura das centrais de triagem e equipamentos de trabalho (caminhões de coleta, equipamentos, galpões, pagamento de consumo de água e luz). Cerca de 1,2 mil cooperados estão inclusos no programa, com renda média mensal de R$ 800.

A Prefeitura continua mantendo esforços para ampliar o programa e para este ano, a administração municipal pretende implantar outras quatro novas Centrais de Triagem, das quais uma já se encontra com suas obras em fase final, na região da Lapa. Até o final de 2012, deverão ser 30 unidades, no total.

Fonte: Prefeitura de São Paulo





Deixe seu comentário