Campus da USP no Butantã tem um roubo ou furto de carro por dia

Em média, um furto ou roubo é registrado por dia no campus da USP, na zona oeste de São Paulo, segundo a Guarda Universitária. Os chamados crimes contra o patrimônio somaram 62% das ocorrências de janeiro a abril: 138 de um total de 222.

Há estabilidade em relação a igual período de 2010, quando houve 136 casos. Boa parte dos furtos (67) foi registrada como “furto qualificado”, ou seja, o ladrão teve de vencer algum obstáculo (arrombar uma porta etc).

Outro crime comum é o furto de veículos, com 21 ocorrências –1/5 de todos casos desse tipo registrados pelo 91º DP, que cobre o bairro Butantã, com 261 mil moradores.

A USP tem, entre alunos, professores e servidores, 113 mil pessoas, mas há uma população flutuante –que vai passear ou praticar esportes– que é desconhecida.



Essa falta de controle de acesso ao campus facilitaria a ocorrência de furto de veículos, segundo estudantes, assim como o fato de os estacionamentos serem abertos e terem iluminação precária.

Segundo a Guarda Universitária, até abril, foram registradas 452 ocorrências de veículos deixados abertos no campus. Entre os crimes violentos, o mais comum foi roubo, com 18 casos até abril. Não houve homicídio, tentativas de homicídio ou estupro. Anteontem, o estudante Felipe Paiva, 24 anos, foi morto com um tiro na cabeça dentro do campus. As polícias Civil e Militar detiveram para averiguação e já liberaram oito homens que, inicialmente, foram denunciados anonimamente sob suspeita de participação na morte do universitário.

Fonte: Agora São Paulo



Deixe seu comentário