Centenas de alunos protestam contra a PM no campus Butantã da USP

Centenas de alunos fizeram um protesto em frente a um dos prédios da Faculdade de Filosofia, História e Geografia da Universidade de São Paulo (USP) contra a prisão de três estudantes que portavam maconha no campus da universidade na noite desta quinta-feira (27). Os alunos foram detidos por volta das 19h por policiais militares. Segundo a PM, eles estavam próximos a um carro, onde foi encontrada uma porção da droga.

No momento em que os policiais foram levar o trio para o 91º DP, onde a ocorrência será registrada, estudantes das faculdades os impediram. O trio, então, foi levado pelos colegas até um dos prédios. Os policiais foram impedidos pelos manifestantes de entrar no local. Dezenas de carros da PM foram enviadas ao local.

O impasse perdurou até as 21h40 desta quinta, quando os alunos foram levados para a delegacia. Segundo alunos ouvidos pelo site G1, um dos problemas foi a apreensão dos RGs do trio.



Convênio
No último dia 8 de setembro, representantes da USP e do comando da Polícia Militar formalizaram um convênio, de cinco anos, para aumentar a segurança na Cidade Universitária, no guia Butantã, na Zona Oeste de São Paulo. Firmaram o documento Antonio Ferreira Pinto, secretário estadual da Segurança Pública, o coronel Álvaro Batista Camilo, comandante do policiamento do estado, e o professor João Grandino Rodas, reitor da USP.

Na prática, com o convênio, haveria um aumento do efetivo que atua no campus da USP desde a morte do estudante Felipe Ramos de Paiva, de 24 anos, que ocorreu na noite do dia 18 de maio. O jovem foi baleado quando se aproximava de seu carro em um estacionamento da Faculdade de Economia e Administração (FEA). Dois homens presos pelo crime foram indiciados por latrocínio.

Na ocasião, o reitor da USP disse que o objetivo de manter policiais militares no campus não é o de coibir manifestações por parte dos alunos e funcionários. “As manifestações são parte da democracia. Elas não serão impedidas”, afirmou, na época.

Fonte: G1



Deixe seu comentário