Estação Butantã: superlotação no Metrô faz da Linha Amarela sonho de consumo em SP

O horário de funcionamento da Linha Amarela do Metrô foi ampliado nesta segunda-feira (2), o que significa que mais pessoas poderão usar o sistema e deixar o carro em casa, diminuindo o trânsito e a poluição do ar. Mas outras linhas da rede estão superlotadas.

Nesta segunda-feira (2), na Linha Amarela, na Estação Butantã, estava tudo tranquilo. Já na Linha Vermelha, na Estação Tatuapé, havia filas intermináveis. A Linha Amarela é nova, moderna e confortável. “É o sonho de consumo de qualquer paulistano”, diz a passageira Rosangela de Carvalho.

A Linha Vermelha é a segunda mais antiga e a mais movimentada da cidade. Nos horários de pico, 60 mil passageiros circulam por hora nos trens.

Por enquanto, a Linha Amarela tem três estações: Estação Butantã, Estação Faria Lima e Estação Paulista. A partir desta segunda-feira (2), ela começou a funcionar às 4h40. O tempo de viagem entre as estações Butantã e a Paulista é de sete minutos. Mesmo no horário de pico da manhã, o trem seguiu tranquilo, com os passageiros viajando sentados. Mas as estações da Linha Amarela fecham às 15h.



“O ideal seria o dia inteiro. A gente sai do trabalho às 18h ou 19h”, justifica a comerciante Maria Edith.

Na Linha Vermelha, o Metrô só fecha à meia-noite. Às 18h15, os trens ficam muito cheios. Há muita gente para pouco espaço.

A desafogada Linha Amarela passa a funcionar até a meia-noite no fim de junho, com a inauguração da Estação Pinheiros e a integração com a CPTM.

“Até o final do ano iremos ampliar com República e Luz, quando operaremos das 4h40 à 0h também nos finais de semana”, diz o presidente da ViaQuatro, Luís Valença.

A movimentada Linha Vermelha ganhará dez novos trens e os antigos serão reformados. A direção do Metrô diz também que está trabalhando para diminuir a superlotação.

“São R$ 700 milhões para trocar o sistema de sinalização, o que vai reduzir a distância entre um trem e outro. Com isso, os intervalos serão menores e, naturalmente, vamos diminuir a superlotação”, afirma Sérgio Avelleda, presidente do Metrô de São Paulo.

O presidente do Metrô diz que a superlotação também vai diminuir com a Linha 15, que deve ficar pronta em 2014 e vai ligar a Vila Prudente à Estação Penha.

Fonte: G1



Deixe seu comentário