Central de Triagem Butantã aumentará o volume de material reciclado na Capital

O Programa Sócio-Ambiental de Coleta Seletiva da Prefeitura de São Paulo ganhará em agosto mais um galpão para reciclagem: trata-se da Central de Triagem Butantã, na Zona Oeste de SP. Na manhã desta segunda-feira (4/7), o prefeito de São Paulo vistoriou as obras da futura unidade. Com 2 mil m² de área construída, este será o maior equipamento para tratamento de resíduos sólidos da Cidade.

“Nossa meta é aumentar a produção de material reciclado. Já há uma gradual melhora nas condições de triagem e no volume arrecadado com o material triado. E além dessa unidade, estamos prestes a concluir a construção ou a reformulação de outros quatro locais até o fim do ano. Eles também vão servir para atender os mesmos objetivos”, ressaltou o prefeito, lembrando que a unidade da Lapa está em sua fase final de obras.

No bairro do Butantã, a partir do término das obras de revitalização do galpão, o local será utilizado para abrigar a Cooperativa Vira Lata, que atualmente funciona em um armazém na região de Pirituba e será transferida para o novo endereço. O custo total da nova unidade de tratamento de resíduos sólidos é de cerca de R$ 1,5 milhão. “Em agosto o prédio deverá ser entregue. Depois, a Secretaria Municipal de Serviços irá dotar a unidade com equipamentos para que ela possa ser operada”, explicou o prefeito.

Na companhia dos secretários municipais de Serviços, Infra-Estrutura Urbana e Obras, Verde e Meio Ambiente e Coordenação das Subprefeituras, o prefeito conheceu as instalações da Central de Triagem Butantã. O local abrigará também um pioneiro centro de capacitação de cooperados, com capacidade para atender a 70 pessoas simultaneamente.




Até agora, 21 unidades de tratamento de resíduos sólidos operam na cidade de São Paulo. O prefeito usou números da Secretaria Municipal de Serviços para destacar a ampliação do Programa. “No início da gestão, eram tratados cerca de 2 toneladas de material reciclado. Hoje, em média, esses 21 equipamentos produzem 5,1 toneladas. Mais que dobramos a quantidade. E vamos continuar aumentando”, assegurou.

As obras

As obras consistem na reforma total do telhado da unidade, com substituição de todas as telhas, bem como a recuperação da estrutura metálica do galpão. Os banheiros, vestiários e os acessos serão adaptados para atender pessoas com mobilidade reduzida. Também passarão por manutenção o refeitório, a caixa d’água e a casa de máquinas. Dentro do galpão serão instaladas correias transportadoras para apoio a área de triagem. Na área externa será instalada balança para a pesagem dos caminhões.

“A ideia é que aqui nesse local seja abrigado mais do que uma cooperativa. Em um primeiro momento já está indicada a Cooperativa Vira Lata. Mas como o local possui um grande espaço (mais de 2 mil m² de área construída), é possível que ele abrigue mais uma cooperativa de recicladores”, afirmou o secretário municipal de Serviços.

A Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente incluiu características sustentáveis no projeto. Os dutos dos banheiros são de cobre para condução de águas aquecidas pelo sistema de aquecimento solar. As placas serão colocadas futuramente. O prédio também recebeu calhas e condutores para captação das águas pluviais, que serão armazenadas em caixas d’água e usadas para regar plantas e para a lavagem de pisos.

A Administração Municipal subsidia toda a infra-estrutura das centrais de triagem e equipamentos de trabalho (caminhões de coleta, equipamentos, galpões, pagamento de consumo de água e luz). Cerca de 1.000 cooperados estão inclusos no programa, com renda média mensal de R$ 800. A futura Central de Triagem Butantã está localizada na Rua Nella Murari Rosa, 40, no Butantã.

Fonte: Prefeitura de São Paulo





Deixe seu comentário